Ai dos pastores infiéis

O profeta Ezequiel, no passado, recebeu uma palavra muito dura contra os pastores de Israel. Mensagem esta que pode ser muito atual para os nossos dias e para os nossos pastores, cabe a cada um se auto-examinar diante de Deus.

“...Não apascentarão os pastores as ovelhas? Comeis a gordura, e vos vestis da lã; degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. A fraca não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes, mas dominais sobre elas com rigor e dureza. Assim se espalharam por não haver pastor, e ficaram para pasto de todas as feras do campo, porquanto se espalharam” (Ezequiel 34:2-5).

A tarefa de Pedro dada por nosso Senhor era de apascentar as Suas ovelhas, e não as de Pedro. A palavra “apascentar” não significa apenas doutrinar, mas também nutrir. Os pastores – e isso inclui os padres – precisam alimentar as ovelhas com pasto verde, molhado pelo orvalho das madrugadas em oração, e não com pasto seco deixado ao acaso e molhado pelo improviso. A obrigação dos pastores é curar as doentes, conforme ordem de Jesus Cristo: “estes sinais seguirão os crerem... porão as mãos sobre os enfermos e estes serão curados” (Marcos 16:18).

Temos que fortalecer as fracas com a Palavra ouvida da boca de Deus. Infelizmente hoje temos motivadores melhor treinados em cursos para empresários do que dirigentes de igrejas.

É fácil hoje ver ovelhas espoliadas em igrejas. Sua lã é arrancada até a pele, pois cada vez que precisam da igreja, a tesoura da tosquia aparece. Em outras, os pastores querem que as ovelhas deixem sua carteiras e bens no altar, como se Deus fosse um grande promotor do baú da felicidade.

Ai dos pastores que apascentam a si mesmos. Para estes, o povo não passa de um produto de consumo, por isso, até quando morre trás algum retorno. São dependentes da igreja como pacientes de uma UTI. Estes certamente não representam a Cristo, muito menos o que Ele ensinou.

As ovelhas andam confusas, pois o Evangelho se transformou numa grande feira de produtos. E os feirantes como verdadeiras feras do campo gritam: Só nosso produto é genuíno... compre... compre...

Jesus deu a vida pelas suas ovelhas. Muitas vezes não comia, ou dormia, para atender as pessoas. Ele as curava de todas as suas enfermidades. As fortalecia com palavras de ânimo que renovavam seus espíritos cansados das lutas do dia a dia. O mínimo que Ele espera dos pastores nas suas igrejas é que estes amem as Suas ovelhas mais do que a si mesmos.