advert 1
advert 2
advert 3
"Este" é o meu "corpo" Imprimir

Se você é uma pessoa esclarecida, meditemos juntos:

 

Durante quarenta (40) dias Jesus Cristo se manifestou vivo e com os buracos dos cravos nas mãos e do furo da lança no seu lado, a centenas de pessoas depois da sua ressurreição na Páscoa. Fez promessas de que não muito depois destes dias, receberiam o Espírito Santo. O que aconteceu cinqüenta (50) dias depois da Páscoa, descendo como línguas de fogo sobre quase cento e vinte (120) pessoas. No final dos quarenta (40) dias, ele diante de várias testemunhas, foi elevado ao céu e ocultado por uma nuvem – a Ascensão de Nosso Senhor. Esse fato real e verdadeiro está sendo deixado de lado para não ter que ser admitida a existência real de Jesus Cristo na terra.

 

O que afinal representa “Corpus Cristi”? Palavra que vem da língua morta latim, língua esta usada geralmente nos filmes satânicos. “Corpo de Cristo” é feriado e comemorado sempre numa quinta feira. Porém, não é a Quinta Feira Santa antes da Páscoa. Então o que tem a ver com Jesus e a Santa Ceia? Jesus instituiu a Santa Ceia com pão e vinho que representam o seu corpo e o seu sangue, antes da Páscoa. Claramente definiu esses elementos com a palavra “isto”, e não “este”, como quer a religião. Porque se Ele tivesse dito “Este é o meu corpo”, então teria que desaparecer diante dos apóstolos e entrar literalmente dentro do pão.

 

Para que enfeitar as ruas com o colorido do solstício? Jesus nesta época estava no céu assentado ao lado do Pai. Nada tem a ver com a Bíblia e nem com o Cristianismo, pois nem Pedro e nem Paulo jamais se referiram à celebração desta festa. Parece que tudo o que Deus não pediu na Bíblia, o povo adota como certo. Mas, o que realmente Ele instituiu, disso o povo foge.

 

O sol já era adorado no tempo de Abraão. Ninrode, descendente de Cão, o filho amaldiçoado de Noé, já se intitulava o deus-sol. Muitos cultos eram realizados em todas as épocas ao deus-sol, sempre representado por um disco solar. Ísis, a deusa-mãe, usava uma mitra com um disco solar entre dois chifres. Heliópolis foi por muito tempo a cidade satélite do deus-sol. Quando nasceu Jesus Cristo, a religião fundiu o deus-sol com o filho de Maria (Ísis) e Jesus (Osíris).

 

Leia este relato bíblico do tempo do profeta Ezequiel, acontecido centenas de anos depois:

 

“Estavam à entrada do Templo do Senhor, entre o pórtico e o altar, cerca de 25 homens de costas para o templo do Senhor, com os rostos para o oriente; e eles adoravam o sol virados para o oriente." Ezequiel 8.16

 

Infelizmente os homens preferem mudar tudo o que Deus fez pela sua infinita sabedoria. As palavras: culto, Santa Ceia, pão e vinho, oração e outras, foram substituídas por outras inventadas pelo homem. Como já foi referido em outras ocasiões, tudo o que realmente está ordenado por Jesus Cristo não é feito como Ele fez. Podemos usar o batismo como exemplo: Em nenhum lugar da história bíblica Jesus ordenou o batismo de crianças. Porque o batismo trazido por João Batista, é o batismo do arrependimento, e só pecadores podem se arrepender de seus pecados, pois é o arrependimento que salva e não a água, muito menos considerar crianças inocentes como pecadoras. O que fazer então? Mudar tudo agora, depois de tanto tempo? Creio que o homem é muito orgulhoso para voltar, então enquanto não vem o juízo de Deus, vamos adaptando...adaptando... para conseguir segurar o povo na religião folclore que é mais facilmente aceita que a religião espiritual.